Você está aqui: Página Inicial / Pessoas / Regina Scalzilli Silveira

Regina Scalzilli Silveira

Artista multimídia, pintora, desenhista, gravadora, artista gráfica e professora
Regina Scalzilli Silveira

Regina Silveira ladeada por Luciana Brito (galerista), Leda Catunda (artista) e Rina Carvajal (curadora) ao fundo a biblioteca Mario de Andrade que recebeu uma intervenção artistica de sua autoria em 2015

Graduada em Artes Plásticas pelo Instituto de Artes da UFRGS (1959), fez o Mestrado (1980) e Doutorado (1984) na Escola de Comunicações e Artes da USP. Ensinou no Instituto de Artes da UFRGS (1964-69), na Universidade de Porto Rico, Campus de Mayaguez (1969-1973), na FAAP, em São Paulo (1973-85), e do Departamento de Artes Plásticas da ECA/USP, onde ensinou de 1974 até os anos de 1990. Nesses ambientes de ensino e pesquisa, juntamente com Julio Plaza (com quem foi casada), Walter Zanini, Donato Ferrari, entre outros, teve grande influência na formação de novas gerações de artistas e profissionais atuantes no campo das artes plásticas. Participou de diversas bienais internacionais e de importantes mostras coletivas no Brasil e no mundo.  Realizou também marcantes exposições individuais em importantes museus e espaços de arte no Brasil e no exterior. Recebeu bolsas da John Simon Guggenheim Foundation (1990), Pollock-Krasner Foundation (1993) e Fulbright Foundation (1994), além de bolsas-residências em diversas localidades no globo. Recebeu também Prêmios no Brasil que celebram sua obra. Possui obras nos principais museus de arte no Brasil e em importantes coleções internacionais.

 

Regina Scalzilli Silveira conclui bacharelado em Pintura no Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em 1958, onde estuda com Aldo Locatelli e Ado Malagoli. Entre 1974 e 1993, foi professora do Departamento de Artes Plásticas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Em 1980, defende dissertação de mestrado com a exposição "Anamorfas", e obtém o título de doutora, em 1984, com a mostra "Simulacros", ambas apresentadas no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo.

No período de 1991 à 1994, concentra suas atividades artísticas em Nova York, com bolsas concedidas por instituições americanas, entre elas: The John Simon Guggenheim Foundation Fellowship (1990-91), The Pollock-Krasner Foundation Grant (1993) e Fulbright Foundation (1994), realizando durante a última a instalação The Saint's Paradox, para El Museo del Barrio.

Em 1987, a Associação Paulista de Críticos de Arte concede à artista o prêmio de melhor instalação do ano por Monudentro, e em 2003, de melhor exposição nacional por "Claraluz" (Centro Cultural Banco do Brasil). Entre as premiações recentes destacam-se o Gran Premio e a Medalha de Ouro na I Bienal Argentina Gráfica Latinoamericana, apresentada no Museo Nacional del Grabado, em Buenos Aires (2000), e o Prêmio Cultural Sergio Motta 2000, instituído no Brasil para contemplar artistas que trabalham com arte e tecnologia.

Participa ativamente de importantes mostras coletivas desde o início de sua vida profissional, tendo juntado centenas de participações dentro e fora do Brasil como a I Bienal de Havana, Cuba em 1984, a Bienal Internacional de São Paulo (edições de 1981, 1983 e 1998). Seu grupo inclusive foi convidado para expor na VII Trienal da India em Nova Delhi (1991).

Uma seleção de exposições internacionais desde a última década inclui: "Imaquinaciones: 16 Miradas al '92" (México DF, Sevilha, Houston, 1991-92), "Ultramodern: The Art of Contemporary Brazil" (Washington DC, 1993), "Recovering Popular Culture" (Nova York, 1994), "Of Mudlarkers and Measurers" (Kingston, 1997), "Re-Aligning Vision: Alternative Currents in South American Drawing" (Nova York, Austin, Caracas, Monterrey, Miami, 1997-99), "Puerto Rico '00 (Paréntesis en la Ciudad)" (San Juan, 2000), "Virgin Territory" (Washington DC, 2001), "Brazil: Body and Soul" (Nova York, 2001), "Layers of Brazilian Art" (Grinnell, 2003), "Histoire des Amériques" (Montreal, 2004) e "Trienal Poli/Gráfica de San Juan: América Latina y el Caribe" (San Juan, 2004).

Realizou mais de 60 exposições individuais no Brasil e no exterior, em mais de quatro décadas de produção artística. Entre as individuais selecionadas desde a década de 80, estão: MAC da Universidade de São Paulo (São Paulo, 1980, 1984, 1989), Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa, 1988), LedisFlam Gallery (Nova York, 1992, 1993, 1995), MASP (São Paulo, 1996), NIU Art Museum (Chicago, 1997), Museo de Arte Moderno (Buenos Aires, 1998), Galeria Gabriela Mistral (Santiago, 1999), Pavilhão das Cavalariças/Parque Lage (Rio de Janeiro, 2000), Torreão (Porto Alegre, 2001), Galeria Brito Cimino (São Paulo, 1998 e 2002) e Centro Cultural Banco do Brasil (São Paulo, 2003). Neste ano, ela já participou de uma mostra na Galería Alcuadrado, em Bogotá, Colômbia e exibiu a instalação Lumen no Palacio de Cristal, Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía, em Madrid, Espanha.

registrado em: