Você está aqui: Página Inicial / Pessoas / Walter Zanini

Walter Zanini

Diretor do MAC-USP, Curador da Bienal de São Paulo, Historiador da Arte (São Paulo, 21 de maio de 1925 - São Paulo, 29 de janeiro de 2013)
Walter Zanini foi o primeiro diretor do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo MAC-USP de 1963 a 1978. Foi também curador das Bienais Internacionais de São Paulo de 1991 e 1993 que inauguraram a prática curatorial no Brasil ao apresentarem um novo modelo de exposição que não mais se baseia em representações nacionais mas em um panorama modelado pela curadoria por meio da analogia de linguagens artísticas contemporâneas. Coordenou e editou, em parceria com Cacilda Teixeira da Costa (editora executiva) o primeiro e único livro de referencia para a Historia da Arte no Brasil: "Historia Geral da da Arte no Brasil" em 2 volumes, 1993 (esgotado). Também foi professor da FAAP-Fundação Armando Alvares Penteado e da Escola de Comunicação e Artes da USP, onde, com outros professores, não só fundou o curso, como iniciou sua pós-graduação, pioneira e modelar no Brasil.

Realizou sua graduação (1951) em Ciências Econômicas, pela Faculdade de Ciências Econômicas de São Paulo, e em Jornalismo, pela Casper Líbero. Em 1954 casa-se com Neusa Boari, que o acompanhou nos seus estudos na Europa. Entre 1954 e 1956 estuda Arte e Arqueologia na Universidade de Paris. Em 1961, na mesma instituição, defende sua tese de doutorado A pintura em Ferrera e suas relações com as escolas contemporâneas na segunda metade do século XX. No mesmo período realiza uma série de cursos de especialização com Jean Cassou e Germain Bazin na escola do Museu do Louvre (1955-1956), Cursou História da Arte e da Arte Moderna na Universidade de Roma (1956-57) e em seguida tornou-se estudante-pesquisador no Instituto Courtland da Univerisdade de Londres (1958-1959).

Participou da criação do Museu de Arte Contemporânea da USP (1963), sendo seu primeiro diretor de 1963 a 1978. Nesta época, além de garantir a salvaguarda, ampliação e a exposição de seu rico acervo, desenvolveu, em parceria com artistas, projetos de vanguarda tais como: "Jovem Arte Contemporânea” (1967-1974) -um espaço aberto e democrático para a produção dos jovens artistas do período; as exposições “Prospectiva 74” (1974) e “Poéticas Visuais” (1977); projetos de Arte Postal que incentivaram a criação de redes internacionais de artistas e projetos em novos suportes tecnológicos e de comunicação como a Video-Arte.

Idealizador, em pareceria com Donato Ferrari, Regina Silveira, Julio Plaza, entre outros, dos programas dos cursos de graduação e pós-graduação em artes plásticas da Escola de Comunicação e Artes da USP. Com o mesmo grupo e, simultaneamente, idealizou também o programa de graduação em artes plásticas da Fundação Armando Alvares Penteado nos anos 70. Foi ainda, em conjunto com Donato Ferrari, Julio Plaza e Regina Silveira, idealizador do ASTER - um centro de investigação e produção artística em São Paulo que oferecia cursos, workshops e debates sobre arte contemporânea (1978 a 1982).

Editor-chefe do livro Historia Geral da Arte no Brasil lançada em 1992, até hoje a única grande obra de referência nesta área no Brasil.

Curador da 16a e 17a edições da Bienal Internacional de São Paulo (1981 e 1983). Nestas duas edições desenvolveu uma nova forma de organizar e exibir a arte moderna e contemporânea por meio de uma prática curatorial interessada em dinamizar as analogias de linguagens que puderam representar o surgimento de expressões artísticas em um cenário global pós-modernista. O modelo geopolítico europeu foi desconstruído em tempo real através de novos vocabulários e tendências da arte contemporânea. Para tanto, um processo de crítica institucional foi ativado. Zanini redimensionou criticamente sua experiência anterior no Museu de Arte Contemporânea (1963-1978) para enfrentar tanto a produção de duas edições consecutivas como um legado de 30 anos de um evento bi-anual naquele momento ainda na periferia do sistema internacional.

Foi também diretor da ECA-Escola de Comunicações e Artes da USP (1985 a 1989), capitaneando projetos como o da criação de um Instituto de Artes nesta universidade que tinha a intenção de reunir professores ligados a arte dispersos em suas várias unidades de ensino.Tornando-se Professor Titular e Emérito da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo.

Além disto Zanini fundou, com outros expoentes das artes no Brasil, importantes fóruns profissionais como a AMAB-Associação Brasileira de Museus de Arte (1966-71), o Comitê Brasileiro de Historia da Arte (CBHA, 1971) e a ANPAP- Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas (1982).

outras biografias:

 

Referências

FREIRE, C. (Org.) Walter Zanini: escrituras críticas. São Paulo: Annablume, 2014.

GROSSMANN, M. Walter Zanini e as bases para a formação e curadoria em artes visuais em São Paulo. In: GERALDO, S. C. (Org.) Fronteiras: Arte, Imagem, História. Rio de Janeiro: Beco do Azougue, 2014. p.203-16.

ZANINI, W. MAC - Catálogo geral das obras. São Paulo: MAC-USP, 1973.

_______. Anita Malfatti. São Paulo: Mac, 1977.

_______. Tendências da escultura moderna. São Paulo: Cultrix, 1980.

_______. (Coord.) História Geral da Arte no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto Walter Moreira Sales, 1983. 2v.

_______. A arte no Brasil nas décadas de 1930-40 - O Grupo Santa Helena. São Paulo: Edusp, 1991.

_______. Duas décadas difíceis. Bienal Brasil Século XX. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1994. p.306-321.

_______._Arte e História da Arte. Estudos Avançados, n.22, set.-dez. 1994.

_______. Vicente do Rego Monteiro. Artista e poeta. 1899-1970. Marigo, 1997.

_______. Vanguardas, desmaterialização, tecnologias na arte. São Paulo: WMF Martins Fontes (org. Eduardo de Jesus, apoio Itau Cultural), 2018.