Você está aqui: Página Inicial / Imprensa / MuBE

O resgate do MuBE

O MuBE há muito tempo vem sendo chamado de Museu Brasileiro de Eventos! A sua missão como museu brasileiro de esculturas, salvo raros momentos, nunca recebeu os investimentos intelectual, cultural e econômico necessários. Assim como o MASP, o MuBE precisa também ser resgatado, com esforços conjuntos da sociedade civil, da comunidade artística e do poder público.
O resgate do MuBE

imagem de divulgação

Foram poucas as exposições de arte realizadas desde sua inauguração em 1995: em nenhum momento o museu apresentou uma programação contínua, coerente e significativa, com exceção do período em que foi dirigido por Fábio Magalhães (1997-98), tendo como diretoras técnicas a atual diretora do Museu da Casa Brasileira, Adélia Borges e Inês Raphaelian, atual diretora da Divisão de Artes Plásticas do Centro Cultural São Paulo.

Esse prédio, construído em terreno público de 7.000m2, localizado no encontro da Av. Europa com a rua Alemanha, ao lado do Museu da Imagem e do Som – MIS, em área nobre da cidade, merece melhor destino. Trata-se de um equipamento cultural idealizado por Paulo Mendes da Rocha como um complexo arquitetônico que combina de forma singular as funções de praça, jardim (projeto de Burle Marx), arena para espetáculos, espaço de exposição, auditório. Sua multiplicidade e pluralidade invocam o que Hannah Arendt caracteriza como qualidades do espaço público: “liberdade, multiplicidade de pensamentos e ações, unidade de condições na diversidade e co-presença física”.

A construção do MuBE custaram R$ 30 milhões aos cofres públicos, mas seu destino público foi desvirtuado pela "benfeitora" da empreitada ao promover no local eventos voltados a causa própria (vide seu nome atrelado ao nome do Museu...)  e a utilização do prédio como showroom para lançamentos de produtos de grife e exposições esporádicas sem critério curatorial ou programático.

Uma proposta de ocupação para esse local público privilegiado da cidade de São Paulo deveria levar em conta não só: 1) o próprio complexo arquitetônico em questão, mas 2) a trajetória de Paulo Mendes da Rochaem São Paulo --que além da reforma da Pinacoteca do Estado, também assina projetos de destaque no cenário cultural da cidade, como o do Centro Cultural da FIESP na Avenida Paulista e mais recentemente o da Galeria de Arte Vermelho na Rua Minas Gerais, e também e principalmente 3) a presença das Artes Plásticas nas políticas culturais da Cidade de São Paulo.


A idéia lançada pela atual gestão da Prefeitura da cidade de São Paulo de uma Galeria de Arte para a Cidade, conta com um conteúdo ímpar: o da Pinacoteca do Município abrigada no CCSP – Centro Cultural São Paulo. Trata-se de uma coleção não só de caráter histórico (iniciada na década de 30 pelo então diretor da Bibioteca Mário de Andrade, Sérgio Milliet), como também de representação da rica e variada produção atual das artes plásticas brasileira uma vez que essa coleção anualmente recebe, por meio de prêmio aquisição, importantes obras selecionadas do Programa de Exposições de Arte Contemporânea do CCSP.

No entanto, a proposta de criação de uma galeria de arte não se restringe a necessidade de se alojar em lugar nobre a Pinacoteca do Município. Na verdade, o conceito de Galeria está relacionado à flexibilidade de uso e programação. Uma Galeria de Arte da Cidade poderia não só promover exposições de acervo da Pinacoteca do Município, como também ter um papel preponderante na promoção da arte na cidade de São Paulo somando-se assim a um contexto urbano-cultural inigualável na América Latina, composto por uma Bienal Internacional, museus de arte moderna e contemporânea e um contingente invejável de galerias de arte comerciais, parte delas instaladas nas vizinhanças desse equipamento cultural. Como galeria e considerando seu projeto arquitetônico como “praça pública”, esse complexo cultural poderia desenvolver um novo projeto para a cidade: uma coleção de esculturas e tri-dimensionais em consonância não só com a Pinacoteca do Município, como também com o rico acervo de obras públicas sob a guarda do Departamento de Patrimônio Histórico da Secretaria da Cultura, espalhadas pelos logradouros, parques e praças públicas da cidade.

 

"... Muita gente não sabe que há um Ceschiatti na Praça do Patriarca ou onde está o Fauno de Brecheret no Parque Siqueira Campos. Então, oportunamente, se fará manifestações que possam se ocupar esculturas da cidade de São Paulo onde elas estão, e, evidentemente, exposição de peças trazidas prá cá com programação e significado, relacionadas com fatos históricos ou acontecimentos oportunos de ponto de vista da crítica, do ponto de vista da oportunidade" (Paulo Mendes da Rocha)

 

Textos de referência:

  • ARENDT, Hannah. A Condição Humana. Rio de Janeiro, Forense Universitária, 1997
  • PIÑÓN, Helio Paulo Mendes da Rocha.. Coleção Documentos de Arquitetura Moderna, Romano Guerra Editora,São Paulo
  • ROCHA, Paulo Mendes da. Exercício da Modernidade (depoimento a José Wolf) in: Revista Arquitetura e Urbanismo. São Paulo, Pini, 1986. n.2, p. 26-31.
  • SEGAWA, Hugo Arquitetura modelando a Paisagem, in: Revista Projeto. São Paulo, Arco Editorial, 1995. n.183, p.32-47
  • SPERLING, David  Museu Brasileiro da Escultura, utopia de um território contínuo in Arquitextos, site Vitruvius, http://www.romanoguerra.com.br/arquitextos/arq018/arq018_02.asp
  • SPERLING, David As arquiteturas de museus contemporâneos como agentes no sistema da arte in Revista, site do Fórum Permanente /painel/artigos/document.2005-03-14.6817880600
  • TAVARES, Ana Maria. Armadilhas para os Sentidos: Uma experiência no Espaço-Tempo da Arte, tese de doutorado, ECA-USP, 2000
  • TELLES, Sophia S. Museu da Escultura, revista AU, n. 32, ano 6, out/nov 1990

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

“O Mube é um exemplo de dificuldades enfrentadas. Quando me foi dito que seria um museu para escultura, independente de outras questões, surgiu na minha mente que a parte de exposições ao ar livre era muito importante. As grandes peças poderiam chegar e ser depositadas lá por imensas gruas, sem dificuldade. Essa parte ao ar livre me criou o maior problema. Se eu faço um edifício qualquer, o terreno confinado, só sobram três espaços, marcados quase com um estigma: quintal, jardim e recuo lateral. 

A outra hipótese era fazer o pátio interno, mas pátio interno me lembrava o colonial, o horror do convento, a coisa escondida, eu não queria fazer um pátio interno. Então eu vou ficando no mato sem cachorro. Não é que não saiba fazer as coisas, mas você vai criando situações e chega ao ponto que diz: fazer o que agora? Há uma solução belíssima para esse tormento do ar livre, que é o teto-cobertura, seja do que for - porque o espaço é belíssimo, delimitado magicamente, não precisa fazer cerca, grade. Lá de cima, ou se cai ou se fica ali. E tinha outras questões advindas dessa solução, que quem tem experiência conhece: para chegar nesse espaço interno é sempre complicado. 

Foi aí que vi o desnível do terreno e pensei em fazer o museu subterrâneo e o espaço de exposição é todo o jardim, de 7 mil m2. Aí, pronto, está feito o projeto. Uma idéia consistente como essa - depois do não faz isso, não faz aquilo - edita a solução.”

Trecho retirado da entrevista concedida por Paulo Mendes da Rocha no site ARCO WEB:

https://www.arcoweb.com.br/projetodesign/entrevista/paulo-mendes-da-rocha-o-trabalho-15-01-2003

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

clique aqui para ter acesso ao texto do ABAIXO-ASSINADO em favor da retomada do MuBE pelo poder público.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O Fórum Permanente apresenta abaixo os principais lances dessa batalha entre o público e o privado, para não dizer individual...

 


23/10/2007 - Folha Online - Mube vai virar organização de fim público
"Com o novo status, o museu [...] quer obter mais recursos, por meio de leis de incentivo, para montar exposições".
leia a matéria

17/10/2007 - Folha de S. Paulo - Meu projeto para o Mube é mostrar arte - por Jacob Klintowitz
"O crítico da Folha Fabio Cypriano afirmou que o MuBE é incoerente por, em mostra anterior (marco inicial), apresentar a pintura de Sérgio Lucena -e se chamar Museu da Escultura".
leia a matéria

17/10/2007 - Folha de S. Paulo - Mube mantém incoerência, diz crítico
"O crítico identificou na nova gestão "a mesma desconsideração" da anterior, exibindo trabalhos "pouco inseridos na produção contemporânea"".
leia a matéria

17/06/2007 - O Estado de S. Paulo - Novo presidente promete calar críticos do Mube - por Luciana Garbin
"Empresário Jorge Landmann assume presidência de museu com meta de profissionalizar a administração".
leia a matéria

17/06/2007 - O Estado de S. Paulo - Briga continua, diz Matarazzo
"'Para terminar a disputa é preciso cancelar o contrato de concessão e entregar o patrimônio do Mube à população. A Secretaria de Cultura tem projeto para devolver esse espaço público, que está privatizado', diz Andrea, sobrinho de Cicillo Matarazzo, de quem Landmann foi colaborador".
leia a matéria

23/05/2007 - Folha de S. Paulo - "Vamos profissionalizar o MuBE" - por Fábio Cypriano
"Novo presidente do museu, Jorge Landmann diz que sua gestão representa "guinada total" na instituição".
leia a matéria

23/05/2007 - Folha de S. Paulo - Secretário diz manter plano de romper acordo
""A prefeitura tem o firme propósito de transformar o museu num espaço público de fato, criando lá a Galeria de Arte da Cidade"".
leia a matéria

22/05/2007 - Folha de S. Paulo - MuBE tem novo presidente e ganha curador
"O empresário Jorge Landmann foi eleito presidente do Museu Brasileiro de Escultura (MuBE), em votação do conselho na última sexta, substituindo Marilisa Rathsam, que ficou 12 anos à frente da instituição".
leia a matéria

21/05/2007 - Folha de S. Paulo - Intervenção oportuna - por Guilherme Wisnik
"MuBE tem servido quase que exclusivamente a eventos comerciais, como feiras, desfiles de moda e festas".
leia a matéria

16/05/2007 - site UOL - Ocupação do espaço do Mube gera polêmica entre artistas e políticos de SP; entenda - por Thompson Loiola
"A Prefeitura acusa a SAM de desvirtuar a destinação do imóvel, projeto do arquiteto Paulo Mendes da Rocha construído, com recursos públicos e privados, em terreno municipal de sete mil m² na Av. Europa, 218, região nobre da cidade".
leia a matéria

11/05/2007 - Canal Contemporâneo - Mube primeiras 1000 assinaturas válidas do abaixo-assinado
"Estamos apoiando a Prefeitura de São Paulo numa batalha jurídica muito difícil para reverter a concessão da área do museu dada à atual direção do MuBE".
leia a matéria

05/05/2007 - Canal Contemporâneo - Abaixo-assinado: MuBE - Público ou Privado?
"Abaixo-assinado apoiando a Prefeitura do Município de São Paulo em favor da retomada do MuBE pelo poder público".
leia o abaixo-assinado

04/05/2007 - O Estado de S. Paulo - Vice deixa Mube e diz que presidente faz ‘gestão medíocre’ e só se promove
"O vice-presidente da instituição, Luiz Seraphico, pediu demissão na sexta-feira. E saiu atirando ontem. Disse que a atual diretoria do museu é “medíocre e incompetente”".
leia a matéria

04/05/2007 - Folha de S. Paulo - Prefeitura vai ao TJ para tentar despejar MuBE
"A Prefeitura de São Paulo vai recorrer da liminar do TJ (Tribunal de Justiça) que suspendeu a decisão do prefeito Gilberto Kassab (DEM, ex-PFL) de retirar o MuBE do prédio que ele ocupa na avenida Europa (zona sul de SP)".
leia a matéria

03/05/2007 - O Estado de S. Paulo - Mube ganha no TJ liminar contra perda de concessão
"A Sociedade de Amigos dos Museus, que administra o Museu Brasileiro da Escultura (Mube), ganhou ontem liminar para continuar ocupando a área municipal no Jardim Europa, zona sul".
leia a matéria

03/05/2007 - Consultor Jurídico - Garantia de teto
"O MuBE (Museu Brasileiro de Esculturas) está, temporariamente, livre de ser despejado da área que ocupa no luxuoso bairro paulistano do Jardim Europa".
leia a matéria

02/05/2007 - O Estado de S. Paulo - 'Tem gente que inveja nosso trabalho'
"Presidente da Sociedade de Amigos dos Museus, entidade administradora do Mube, ela diz que agora só pretende discutir na Justiça o despacho que anula a cessão da área".
leia a matéria

02/05/2007 - O Estado de S. Paulo - 'Tem pessoas que brincam de museu'
"“O Mube nunca aconteceu como museu. Vamos transformar o espaço num museu de artes plásticas visuais e de esculturas”, diz o secretário Andrea Matarazzo".
leia a matéria

02/05/2007 - Porta G1/O Globo - Mube fica na Avenida Europa, determina TJ
"Prefeitura havia rescindido a concessão administrativa de área municipal. Sociedade Amigos do Museu entrou com pedido de liminar contra decisão".
leia a matéria

02/05/2007 - Portal Estadão - TJ de SP determina que Mube continue na Avenida Europa
"O mérito da ação ainda será julgado pelo Órgão Especial do TJ".
leia a matéria

02/05/2007 - O Estado de S. Paulo - TJ vai decidir quem fica com área do Mube - por Alexssander Soares 
"Museu recorre a advogado que garantiu ao Círculo Militar direito à concessão de área no Ibirapuera".
leia a matéria

29/04/2007 - O Estado de S. Paulo - As necessidades reais dos museus - por Maria Hirszman
"Medidas recentes são testemunhos de lógica perversa que dá ao espaço físico relevância superior ao patrimônio artístico".
leia a matéria

25/04/2007 - O Estado de S. Paulo - Novos espaços? Mas que conversa é essa? - por Aracy Amaral
"A idéia é excelente, mas será que os já existentes têm sedes condignas ao acervo e conseguem explorar todo o seu potencial?".
leia a matéria

23/04/2007 - Folha de S. Paulo - Manifestantes protestam contra despejo do MuBE pela Prefeitura de SP
"Os manifestantes deram as mãos e ficaram em volta do museu. Também havia um abaixo-assinado -com adesão de cerca de mil pessoas".
leia a matéria

18/04/2007 - O Estado de S. Paulo - Prefeitura de SP/Sala de imprensa- Prefeitura anula concessão de área ao MuBE nos Jardins
"Motivo é suposto uso privado do museu; especialistas dizem que despacho não revoga medida".
leia a matéria

18/04/2007 - Folha de S. Paulo - Diretora diz que vai entrar na Justiça
"A diretora do MuBE, Marilisa Rathsam, informada da decisão do prefeito Gilberto Kassab (DEM) pela Folha, disse ontem que vai entrar na Justiça para evitar que a entidade seja despejada da área que ocupa na avenida Europa".
leia a matéria

18/04/2007 - Jornal da Tarde - Prefeitura de SP/Sala de imprensa- MuBE tem contrato rescindido
"Um despacho do prefeito Gilberto Kassab, publicado ontem no Diário Oficial do Município, rescinde a concessão de uso da área de 7 mil m2 onde está o Museu Brasileiro da Escultura (MuBE)".
leia a matéria

18/04/2007 - Folha de S. Paulo - Kassab determina saída do MuBE de área pública
"O prefeito Gilberto Kassab (DEM, ex-PFL) determinou que o MuBE (Museu Brasileiro de Esculturas) deixe a área pública que ocupa desde 1987 no Jardim Europa, uma das regiões mais valorizadas de São Paulo".
leia a matéria

18/04/2007 - Portal de Notícias da Globo - G1 - Prefeitura de SP decide retirar MuBE de espaço público
"Concessão de uso da área do Museu de Escultura foi cancelada pela prefeitura. Secretaria da Cultura alega que espaço estava sendo mal utilizado".
leia a matéria

29/08/2006 - Folha de S. Paulo - MuBE
Suzanna Sampaio responde à matéria Prefeitura vai à Justiça para retomar área do MuBE.
leia a opinião

26/08/2006 - Folha de S. Paulo - Prefeitura vai à Justiça para retomar área do MuBE
"Gestão Kassab afirma que museu de escultura pratica 'desvio de finalidade'".
leia a matéria

26/08/2006 - Estado de São Paulo- Prefeitura quer retomar terreno para alterar perfil do MuBE
"O Museu Brasileiro da Escultura Marilisa Rathsam (MuBE), na Avenida Europa, nos Jardins, zona sul de São Paulo, está na mira da Prefeitura".
leia a matéria

abril/2001 - SOS Monuments - MuBE Violentado - por José Armêmio Brito Cruz
"O prédio do Museu da Escultura na Av Europa, projeto do arquiteto Paulo Mendes da Rocha, tem sido vítima de intervenções que constituem ataques violentos à cultura e ao interesse público".
leia o artigo