Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2020 / 08 / Desconfinamento | Horários e protocolo de funcionamento - Galeria Luisa Strina

Desconfinamento | Horários e protocolo de funcionamento - Galeria Luisa Strina

Desconfinamento | Horários e protocolo de funcionamento - Galeria Luisa Strina

Vista da exposição Nuestra América, no Anexo da galeria [Foto: Edouard Fraipont]

Novos horários

funcionamento da galeria durante as exposições de Marcius Galan, Muntadas e Nuestra América
04 de agosto — 26 de setembro, 2020, das 11h às 16h

Em respeito às recomendações das autoridades de saúde, a reabertura da galeria, a partir de 4 de agosto, acontece com horário de visitação reduzido (das 11h às 16h) e apenas com agendamento de horário. As exposições individuais de Marcius Galan (sala 1) e Muntadas (sala 2), assim como a coletiva Nuestra América, no anexo da Galeria Luisa Strina, podem ser visitadas presencialmente, com agendamento pelo Google Forms ou através do e-mail assistente@galerialuisastrina.com.br. A partir do dia 4, a galeria e o anexo voltam a operar, sempre com limite de pessoas dentro das salas expositivas e obrigatoriedade de uso de máscara para entrar nos dois espaços.

 

Assista ao filme de Alfredo Jaar clicando aqui:
http://galerialuisastrina.com.br/between-the-heavens-and-me

Visite Nuestra América de casa utilizando o link a seguir:
http://viewingroom.galerialuisastrina.com.br/nuestraamerica






ONLINE


 

Arte da Quarentena: a galeria participa do evento na plataforma ArtSoul, em cartaz até 2 de agosto, que reúne obras feitas no período dos últimos 4 meses pelos seguintes artistas: Alexandre da Cunha, Caetano de Almeida, Federico Herrero, Jarbas Lopes, Jorge Macchi, Laura Lima, Magdalena Jitrik, Marepe [na foto, Oração, Esperança e Agradecimento (2020), acrílica sobre tela, 80 x 120 cm], Marina Saleme, Matías Duville e Thiago Honório.

 

Em paralelo a Arte da Quarentena, a galeria tem o prazer de apresentar o filme Between The Heavens And Me (2020), de Alfredo Jaar, em um viewing room dedicado ao artista. O vídeo consiste num réquiem às vítimas anônimas da Covid-19 em Nova York, onde Jaar vive, e uma elegia à população mundial atingida de uma forma ou de outra pela pandemia – apostando no poder de cura da música.

registrado em: