Você está aqui: Página Inicial / Rede / Cátedra Olavo Setubal de arte e cultura / Cátedra Olavo Setúbal de Arte, cultura e ciência: Catedrático Néstor García Canclini 2020

Atividades Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência: Catedrático Néstor García Canclini 2020

 

Néstor García Canclini

Catedrático Paulo Sérgio Rouanet 2016Catedrático Ricardo Ohtake 2017Catedrática Eliana Sousa e Silva 2018Catedráticos Paulo Herkenhoff e Helena Nader 2019Catedrático Néstor García Canclinisite da Cátedra no IEA-USP


Nestor García Canclini é antropólogo cultural e um dos cientistas culturais mais influentes da América Latina. Ele foi escolhido para ser o novo titular da Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência durante 2020, e desenvolveu o projeto "A Institucionalidade da Cultura no Contexto Atual de Mudanças Socioculturais". Com a participação do antropólogo, o programa Líderes na Arte, Cultura e Ciência, desenvolvido pela cátedra, adquiriu dimensão internacional. Nascido em La Plata, Argentina, em 1939, ele está radicado desde 1976 no México, onde é pesquisador emérito do Sistema Nacional de Investigadores (entidade similar ao CNPq) e professor investigador do Departamento de Antropologia da Universidade Autônoma Metropolitana, na unidade Iztapalapa.

Segundo Martin Grossmann, coordenador acadêmico da Cátedra, Canclini se destaca na América Latina por transitar com desenvoltura e originalidade pelos meandros socio-político-culturais da região.

A escolha de Canclini como novo titular também celebrou a renovação por mais cinco anos do convênio entre o IEA e o Itaú Cultural que instituiu a cátedra na USP.

Durante sua titularidade iniciada em 1 de setembro de 2020 até 31 de agosto de 2021, Canclini discutiu a questão da institucionalidade da cultura diante das seguintes transformações atuais:

  • o enfraquecimento das instituições culturais públicas e privadas durante a crise neoliberal e a prevalência das aplicações digitais sobre as instituições;
  • as trajetórias dos movimentos independentes em relação à reconfiguração dos mercados culturais e dos hábitos de públicos e usuários;
  • a "descidadanização" da política partidária e as mudanças socioculturais na formação do público;
  • o exercício dos direitos humanos sob os controles tecnológicos, as novas resistências e formas alternativas de organização social.

Em sua atuação na Cátedra, Canclini destacou dois processos entre aqueles promotores de mudanças de desenvolvimento e funções sociais das instituições culturais públicas e privadas nas últimas décadas: as políticas neoliberais e a internet. Essas duas transformações geraram, diz, uma "descidanização e o deslocamento parcial das cenas político-culturais dos partidos para movimentos sociais e desempenhos midiáticos e digitais dos públicos".

Para ele, a diminuição das formas clássicas de exercer a cidadania - via partidos, sindicatos e instituições fisicamente estabelecidas - "coexiste com movimentos feministas, raciais e étnicos, ambientalistas e de vizinhança, rebeliões e adaptação dos consumidores-usuários da produção cultural das corporações e organismos estatais".

Canclini realizou análises dessas modalidades recentes de desenvolvimento institucional e dos movimentos, principalmente no Brasil, tendo como referências comparativas as experiências específicas de Argentina, México e outros países latino-americano. O projeto do catedrático foi desenvolvido com a colaboração do pós-doutorando Juan Ignacio Brizuela, especialista em políticas culturais e interculturalidade.

 


 

A posse de Néstor García Canclini aconteceu virtualmente na Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência em 6 de outubro de 2020.

Em sua palestra inaugural Canclini considera que o termo instituição cultural não se aplica hoje apenas a museus, bibliotecas, livrarias, editoras, cinemas, teatros e salas de concerto, englobando também aplicativos como o WhatsApp e serviços como o download de filmes e e-books.

Vídeo da posse


Triálogo: "A Desinstitucionalização da Cultura" Solenidade virtual de posse de Néstor García Canclini com a participação de Carla Cobos e Teixeira Coelho. Os três conversam sobre as novas institucionalidades na área da cultura, as contradições entre discurso e objeto das políticas culturais e a dificuldade das instituições tradicionais darem espaço às transformações sociais contemporâneas.

Vídeo Triálogo


Este evento ocorreu virtualmente, na Universidade Autônoma Metropolitana (UAM), Cidade do México. Apresentam-se os resultados da investigação desenvolvida durante a titularidade de Canclini (2020-2022) na Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência.

Vídeo Emergências Culturais: Instituições, Criadores e Comunidades no Brasil e no México